Home » NOTÍCIAS » Funcionalidade e estética – Decidindo objetivos da obra

A discussão entre priorizar a funcionalidade de uma obra ou a estética parece não ter fim entre os arquitetos. São dois campos que para muitos acabam sendo separados, ou para outros, unidos. É interessante falarmos aqui que nosso maior arquiteto, Oscar Niemayer, continua no centro dessa discussão no Brasil. As suas obras que buscam sempre uma estética muito elaborada tem, por muitas vezes, suas condições de habitabilidade pioradas em detrimento dos padrões estéticos.

Oscar Niemeyer

Oscar Niemeyer

Eu considero que a estética deve sempre andar junto da funcionalidade. Toda obra deve conjugar ótimas condições de funcionalidade e estética. É claro que, em casos específicos, devemos, por escolha ou necessidade, suplantar uma dessas duas diretrizes.  A humanidade já viu e utilizou obras e ambientes onde a estética ou a funcionalidade foi levada ao extremo e, para mim, nenhuma dessas duas opções tornou-se realmente viável. Sempre carreguei comigo a certeza de que um projeto bem elaborado em termos de funcionalidade é um ótimo “candidato” a ter grandes resultados estéticos. O arquiteto somente consegue unir estética e funcionalidade munindo-se, primeiramente, de amplo conhecimento técnico de arquitetura, e em segundo lugar, de conhecimentos específicos das necessidades de cada tipologia de edificação/ambiente, além do conhecimento sobre as necessidades do cliente. Aliado a esses conhecimentos vem muito trabalho e mais trabalho.

Nidus Arquitetura - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Full House Comunicação